quinta-feira, 26 de março de 2009

Livro faz um recorte biográfico de Patrícia Galvão, a Pagu, importante personagem da história da capital paulista. A autora escolheu para esse retrato os anos de 30 a 40, período que marca de sua entrada ao desligamento no Partido Comunista. Obra será lançada dia 31 de março, no Sesc Santos

Irreverente, corajosa, idealista. Essa era Patrícia Rehder Galvão, mais conhecida como Pagu. Figura feminina de grande importância na história paulistana nas décadas de 20 a 40, amante e mulher de OsCapa Paguwald de Andrade, foi a única correspondente sul-americana a cobrir a coroação do imperador Pu Yi, na Manchúria, em 1930 e, aos vinte e poucos anos, entrevistou Sigmund Freud. Para contar essa trajetória, a historiadora Tereza Freire escreveu Dos Escombros de Pagu – um recorte biográfico de Patrícia Galvão, lançamento da Editora Senac São Paulo e Edições SESC SP. O lançamento está marcado para o dia 31/03, às 20h, com a presença de Rudá K. Andrade no auditório do Sesc Santos, em um bate-papo mediado pela jornalista Márcia Costa, deste blog, mestre em Comunicação Social com a dissertação Jornalismo Cultural: a produção de Patrícia Galvão no jornal A Tribuna.

Fruto da dissertação de mestrado de Tereza em história social pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), o título foi contemplado com o prêmio de melhor livro no concurso do Programa de Ação Cultural (PAC) da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, em 2006. A autora faz um recorte biográfico da musa modernista nas décadas de 30 a 40, período em que vai de sua filiação ao desligamento do Partido Comunista Brasileiro.

Tereza escolheu a intelectual como personagem não só pela sua importância histórica, mas também pelo fato de que muito pouco se contou sobre ela até hoje. Embora nutrisse grande simpatia e identificação com Pagu, foi depois da leitura do poema de Augusto de Campos Pagu: tabu e totem, que a historiadora decidiu dar voz à personagem. “Quando li este poema, foi como se ouvisse um chamado e, como historiadora, achei que tinha obrigação de aceitá-lo”, pontua.

Baseada em correspondências inéditas trocadas por Pagu com amigos e familiares, a obra relata feitos curiosos e reveladores da jovem paulista, como seu casamento com o escritor modernista Oswald de Andrade, sua ida ao Oriente, como correspondente do Correio da Manhã e do Diário de Notícia, sua intensa atuação no Partido Comunista Brasileiro, o que lhe rendeu várias prisões e a colocou, aos 21 anos, como a primeira mulher a ser presa por motivos políticos no Brasil, entre outros momentos marcantes.

O primeiro capítulo tenta mostrar como a modernista via o mundo. Tereza relata a origem de sua família, sua ligação com Oswald e o movimento modernista, além de suas atividades como militante do PCB. Usa como fontes cartas, poemas e desenhos de Pagu, além de seu romance Parque Industrial.

No segundo capítulo, a historiadora conta sobre as viagens que Pagu fez a países como Japão e Manchúria, a partir de 1933, como correspondente do Correio da Manhã e do Diário de Notícias. Nessa época, Pagu era muito visada pela polícia política e, por isso, teve de sair do Brasil. Mais tarde, vai para Moscou, sonho de todos os comunistas da época. Decepcionada com as condições daquele país vai à Paris e filia-se ao Partido Comunista Francês.

A parte final é dedicada ao fim da vida de Patrícia Galvão como Pagu, quando sai da prisão pela última vez. Depois de sofrer torturas físicas e psicológicas e decepcionar-se com a causa política, Patrícia declara que Pagu já não existia.

Sobre a autora
Tereza Freire é historiadora, com mestrado sobre Pagu pela PUC-SP. É roteirista e diretora do documentário Caminhos do Yoga, gravado na Índia, em 2003. Trabalhou como apresentadora de vários programas de variedades, entre eles o programa Contos da Meia-noite, da TV Cultura, e Diário de Viagem, sobre turismo cultural, na Rede Sesc de TV.Rudá K.Andrade se formou em História e é documentarista. Realizou entre outros documentários Somos Todos Sacys e escreveu o prefácio para o livro Dos Escombros de Pagu.

Serviço:
Dos Escombros de Pagu – um recorte biográfico de Patrícia Galvão
Autora: Tereza Freire
Editoras: Senac São Paulo e Edições SESC SP
Preço: R$ 30
Número de páginas: 200
Lançamento: SESC Santos com a presença de Rudá K. Andrade
Horário: 20h
Local: auditório

Informações para imprensa: Editora Senac São Paulo
In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação
Carolina Bessa – carolina.bessa@inpresspni.com.br
Cibele Anjos – cibele.anjos@inpresspni.com.br
Tel.: 11 3323-1546/1520

Informações para imprensa: Edições SESC SP
Lítera – Construindo Diálogos / www.litera.com.br
Unidade Relacionamento com Imprensa:
Maria Luiza Paiva / luiza@litera.com.br
55 11 3673 7270

1 comentários:

  1. Eugênio Martins Júnior27 de março de 2009 17:11

    Não haveria pessoa melhor para mediar esse debate do que a jornalista Márcia Costa, autora de importante pesquisa sobre o trabalho de Pagu no jornal A Tribuna, de Santos.

    Trata-se de uma ótima oportunidade para mandar o BBB 9 pra Rede Globo que o pariu.

    Eugênio Martins Júnior

    ResponderExcluir

Os comentários ao blog serão publicados desde que sejam assinados e não tenham conteúdo ofensivo.